domingo, outubro 31, 2004

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Sei que andei meio sumido nessa semana de feriado, atribuições e compromissos, além de uma pitada de falta de imaginação para postar.

Mas essa historia que aconteceu comigo, tenho que contar: Numa de minhas voltas do ensaio da Renascer de Jacarepaguá - grande final da escolha do samba, depois de ter tocado das 23 ás 6 da matina chegou o momento de voltar pra minha casa.

Exausto, acabei não resistindo ao balanço e dormi e em vez de acordar no Moutela, acabei acordando no Rio das Pedras (favela que aparece na película: O Redentor).

Vá lá, coisa incomum seria, se isso não fosse tão constante para este singelo escriba que aqui conta este relato.

Tive que pagar outra passagem e a estratégia foi simples, ficar de pé ao lado da trocadora contando uma outra história absurda que também aconteceu comigo.

A História Absurda
Pra quem desconhce, aqui no Rio de Janeiro a linha 268 que faz o trajeto Pça XV (Centro) - Rio Centro (Curicica).

Mas pra enriquecer os detalhes, o carissimo bloggueiro precisa saber que o busu faz um trajeto bastante longo. Vejam:

Centro - Central do Brasil - Cidade Nova - Pça da Bandeira - Maracanã - Vila Isabel - Grajaú - Serra - Jacarepaguá - Freguesia - Moutela (onde moro) - Anil - Gardenia Azul - Cidade de Deus - Merck - Curicica - Projac - Rio Centro.

Esse breve trajeto dura em média de 40 à 60 minutos.
Pois a minha história foi mais ou menos assim, entrei no onibus, já tarde da noite, em Vila Isabel, depois de uma maravilhosa chopada com os amigos. O balancê do 268 me convidou ao sono e pronto... acordei em plena Cidade de Deus.

O adiantar das horas me obrigou a ir até o ponto final, pois afinal de contas, o bairro é meio sinistro. Chegando no Rio Centro, fui obrigado a descer do onibus, aguardar 25 minutos (voces não sabem como de madrugada esse tempo dura) e entrei de novo no busu pra voltar no intinerante.

O soninho não me abandonou e acabei adormecendo no Merck... de repente, numa curva mais intensa, acabei acordando... na Pça da Bandeira... O susto foi enorme, não acreditei que havia atravessado a Serra mais uma vez, passado por Vila Isabel (ponto de origem) e ali estava em frente a Pça da Bandeira.

Me restou esperar até o ponto final na Pça XV, pagar mais uma vez minha passagem e ficar em pé até o ponto de minha casa. Esse talvez tenha sido a minha longa jornada noite a dentro, de dentro de um 268!!!
Postar um comentário