domingo, dezembro 31, 2006

Brahma faz de seu comerical, um plágio da SOCABA


Era o reveillon de 1999 para 2000 e comemorávamos em minha residencia: eu, Rogerio Coroinha, Everaldo e Madureira a passagem de ano novo em cada cidade do Mundo.

Sidney, Tokio, Pequim, Nova Dheli, India, Bagdad, Moscow, Tailandia, Atenas, Berlim, Roma, Madrid, Lisboa, São Tomé e Principe até chegar no Rio.

Ficamos meio alcolizados, mas cumprimos o roteiro global e não é que esse ano, o Comercial da Brahma mostra o Zeca Pagodionho e amigos bebemorando o ano novo em Sudney?!!!

De fato, enquanto eles estavam tirando o atraso em cerveja, aproveitamos aqui pra comemnorar o feliz ano novo junto com os australianos tomando Itaipava..

FELIZZZZ ANO NOVOOOOOOOOOOO....

Agora ainda faltam 12 ano novos diferentes. Haja figado e latas e latas de cerveja!!!

Babilônia Irmãos. Nosso ano novo é uma incognita! Barra, Copa ou Ipanema. Sei não, o tempo meio nublado vai ser determinante.
Babilonia irmãos

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Rio de Janeiro: Por dentro do caos de hoje


Assim que desci do onibus 268 estranhei a presença de 2 policiais armados no início da Av. Grajaú-Jacarepaguá armados com 2 metralhadoras. Achei que haveria algum tipo de incursão no Complexo do Morro dos Macacos em Vila Isabel.

Ledo engano, na verdade o fato ocorreu as 11 horas da manhã na Avenida Menezes Cortês com tiroteio intenso na estrada que tinha acabado de passar. Lendo os noticiarios da Internet, pude verificar que isso era apenas um fragmento do que estava acontecendo por toda a cidade.

Fui acompanhando por dentro do caos, mas garantindo aos blogueiros de que onde estava, estava bem tranquilo.

Por certo que, o que me chamou a atenção é que o plantão do jornal O GLOBO, inormava sem parar os acontecidos e ia acompanhando, enquanto atualizava o site do CEACA-Vila.

O caso chocante com o onibus da Itapemirim, as informações sobre Jacarepaguá (Taquara e Praça Seca), fui informado que até no Pechincha teve reflexo. O grau de dramaticidade na edição do RJTV e Jornal Hoje (Nivel Nacional) fez com que minha tia ligasse de Friburgo perguntando se tava tudo bem.

Essa tal onda de violencia, que já chegou no informativo eletrônico da BBC, causa uma sindrome de pavor e revolta nas pessoas. O assunto hoje será esse, o que me resta é daqui do alto do Capanema, no Centro do Rio, aguardar a hora de sair pra tomar uma gelada e correr pra casa.

terça-feira, dezembro 26, 2006


Depois das festas natalinas um momento de pausa. Um pequeno sono para descansar um corpo moído de uma noite delatada, quase interminável. A noite tinha marcado para ver o show do Cordel do Fogo Encantado. Banda do sertão pernambucano que mistura música, recital, teatro, enfim um mistura artística sem paralelo em minha opinião. Cheguei por volta das 22h00min h e fui me arrumando num cantinho ali, num cantinho aqui. Ainda travava o gosto do álcool matutino e vespertino. As pernas ainda gemiam suas dores por horas e horas a fio em pé, em pé de guerra contra os anos que teimam em avançar. Onze e meia, queima de fogos, onze e meia testes de iluminação.

O palco é povoado por grandes bonecos pendurados no teto. Saem luzes amarelas dos olhos dos grandes bonecos. Onze e quarenta. Um homem adentra o palco dominando e dominado por um boneco de luzes. Lâmpadas cibernéticas e roboticamente congruentes desenham um ser futurista. Os passos revelam a natureza sincronizada entre o homem e o robô guiado mecanicamente. A máquina não pode dominar o homem, os seus passos são contados pelos passos humanos. Aquele robô rasga o tablado de canto a canto e some na minha direita. No centro do palco, Lirinha se prepara para detonar milhares de pessoas que se esticavam para alcançar um melhor ângulo. Novas e velhas músicas sucediam enquanto o grupo teatro-circense, cômico-dramático suava seus tambores, sua viola eletrizante.

O Cordel despejava todo o seu fogo encantado, derramava a saudade de voltar a sua terra, aos seus, à terra quente de um Recife tomado pelos Cacetes de Brennand. "Salve o Cacete de Brennand", grita Lirinha em alusão às esculturas de Francisco Brennand. O encantamento de suas músicas, uma mistura de tudo e mais um pouco de candomblé, do Toré dos Arcoverde, do samba de coco, de música seca; seca como os sertões de Euclides da Cunha, secos como a descrição de Graciliano e suas Vidas Secas, secas como a Morte e a Vida Severina. No palco uma música esfomeada, pálida, seca, desesperada. Música com zumbido da noite sertaneja, de preocupações sociais. Aquele corpo magro fazia suas acrobacias sem sair do chão. Um zumbi andava de um canto a outro com seu canto afiado, apunhalado e apunhalando as vis estruturas. O que vocês estão fazendo ai? Perguntava o místico regente de milhares de almas. Venham pra rua pra lutar. Os acordes do violão, a batida do tambor a percussão, o grito, a fala, o palco se misturavam. Os postes obedeciam, apagaram-se as luzes do Marco Zero. Só o palco e nós. Cada foco de luz uma metralhadora.

O palhaço do circo do futuro se maquia enquanto canta, enquanto dança. "Pai me ensina a ser palhaço, pai me ensina a ser palhaço, pai me ensina a ser palhaço.” Isso “não se ensina seu bosta.” Estas eram as palavras do músico de pandeiro estridente, de voz de alfinete. A platéia em êxtase pulava freneticamente de um canto a outro cantando os seus refrãos; enquanto isso o corpo zumbi fazia sua evolução, sua transfiguração, sua trans-fi-gu-ra-ção, sua trans-fi-gu-ra-ção. Seus longos braços caleavam o microfone, jogavam-se quase se desprendendo do corpo, desprendendo da alma. Mais de uma hora e meia de espetáculo e nós ali registrando esta história num dia de Natal. Dessa vez a música mágica não fez chover o sertão, mas com certeza minaram os olhos de milhares de filhos da terra seca, rachada e empoeirada do sertão pernambucano.

sábado, dezembro 23, 2006

Boas Festas Babilônicas!!!


terça-feira, dezembro 19, 2006

WWW.SOCABA.TK



Finalmente, depois de ter o site merreca tirado do ar, de ter perdido a senha e o loguim do dominio da SOCABA no DOT.TK das ilhas Tokelau,
Consegui depois de muita insistencia, durante quase 6 meses, abrir um dialogo com os representantes do DOT.TK

De certo que a comunidade no ORKUT da SOCABA e o Blog da Babilônia são suportes da comunicação da SOCABA com todo o Brasil, mas mesmo assim ainda faltava nossa home page.

E a simpatica Lucy atendendo a uma penca de mensagens me devolveu o domínio que eu havia perdido.

Por enquanto, o domínio está direcionado para esta Babilônia, mas mesmo assim, é momento e hora de celebrar esta abertura na web e nada como o Abridor da SOCABA para representar essa nossa vitória.

Agora só falta encontrar um provedor que hospede o site da SOCABA, que nossas atividades on line voltarão com força total reconfigurado e cheio de novidades e eventos.
Porque SOCABA Quando Termina!!!!!!
Babilôôôôôôônia Irmãos

segunda-feira, dezembro 18, 2006

Trabalho, comemoração e mar



Como coordenador pedagógico da equipe de Informatica do CEACA, na formatura dos alunos na FUNLAR.


Uma singela comemoração de fim de ano da Turma de Arquivologia da UNI-RIO


Um belo domingo na praia da Barra da Tijuca


Tendo ao fundo a cadeia de montanhas do Recreio e Prainha


Como ninguém é de ferro, paro pra observar a paisagem


Pra finalizar uma gelada no quiosque da Barra da Tijuca

sexta-feira, dezembro 15, 2006

A Uniformidade do Tempo


Por Renato Motta

É...
São 16 dias para o fim do ano
13 dias para uma comemoração da SOCABA
9 dias para a noite de Natal
5 dias para minha tia me visitar
2 dias pro show da bateria
1 dia pra uma viagem a Saquarema
6 horas para o ensaio na Renascer
16 minutos para sair do trabalho.

Vivo a uniformidade da amuplheta
Ciclo no número 16
O tempo voa
É relativo
e demooooooooraaaaaa

quinta-feira, dezembro 14, 2006

how soon is now??


Ta certo, mirando pra década de 80, era um grande fã das melancólicas músicas do The Smith.

De certo que tive uma surpresa no seriado CHARM a abertura era com essa música.
Farei justiça, o grupo TATU com a nova versão para a musica do grupo inglês fez juz áquela atmosfera da década de 80 da geurra fria. Vale a pena conferir!!!

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Vanguardas em RE-Cine



Esta semana se iniciou o Festival Internacional de Cinema de Arquivo - O RECINE, nas dependencias do Arquivo Nacional.

Estive na abertura e constatei que este festival deve ser acompanhado. O evento projeta filmes de arquivo, promove mostras competitivas e este ano, as Vanguardas foram o tema.

Duchamp, Dadaismo, Modernismo, Poesia Visual, Cubismo, Surrealismo, exposição, filme, seculo XX, tudo emaranhado.

Na abertura pude comer poesia, beber filmes, ver no ar, o tênue, camuflar o infinito, cutucar o absurdo intimamente.

Deixemos as divagações pro parágrafo anterior e vamos ao que interessa, depois de participar da abertura, uma série de filmes iniciou a mostra. O primeiro foi uma bela construção feita pela equipe do Arquivo Nacional com diveros cortes e recortes sobre a imagem vanguardista.
O segundo, cubos mágicos dos dados, as mágicas e as possibilidades de expressão; no terceiro filme um movimento circular continuo sobre o homem, os objetos e o temor. Foram imagens que tocaram meus pensamentos.

O gran finale, Hisotrie du Cinema de Godard, a narrativa profundamente francesa sob a optica do cineasta e a Nouvelle Vague como ponto de apse do que seria a historie du cinema, a fera mercantilista do American Movie de fora destes recortes complexos e la belle, Mort, Française.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Uma pequena baixa no samba


Por Renato Motta

Atchiimmmmm.....
O resfriado me pegou de jeito.
Atchiimmmmm.....
Resta ficar em casa descansando
Atchiimmmmm.....
De resto é vitamina C no refresco
Atchiimmmmm.....
Mas no fundo, estar me preparando
Atchiimmmmm.....
Da pequena baixa completo, refeito
Atchiimmmmm.....
Pra sabado pintar na quadra tocando.

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Boicote ao Filme Turista


Sempre a mesma coisa!!! Os filmes produzidos pelos norte-americanos sobre o Brasil têm a tendencia de mostrar um cenário deturpado, como carros que estão atravessando o tunel rebbouças no Rio de Janeiro e terminam em plena floresta Amazonica.

Ou de que aqui se fala fluentemente o espanhol, que dançamos Salsa, ou que somos pervetidos sexualmente graças ao carnaval.

O lançamento do filme: Albergue ou Turistas conta a história de 6 jovens americanos que vêm ao Brasil de férias (provavelmente o Rio de Janeiro). Chegando aqui tomam uma caipirinha com 'boa noite cinderela', são assaltados, sequestrados, torturados e por fim têm os órgãos roubados por traficantes da industria negra dos transplantes. Alguns morrem e mesmo os que sobrevivem não têm um final.

O filme é classificado como terror, mas a EMBRATUR já está tão preocupada com a péssima repercussão do filme lá fora que, temendo uma queda brusca na receita do país vinda do turismo internacional, já está preparando campanhas intensas para serem veiculadas lá fora e tentar minimizar os estragos.

Ao mesmo tempo, um orkuteiro iniciou uma campanha em massa virtual para Boicotar integralmente o filme americano TURISTAS, que estréia lá nos EUA no dia 1o de Dezembro e aqui em Janeiro ou Fevereiro, distribuido pela Paris Filmes.

Agora é ver se isso vai dar certo, mas to achando que precisa de um lema em Inglês, o babilônico tem alguma sugestão?

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Blog da folia


Recebi um email do jornalista Claudio Motta, me informando do novo espaço digital, um blog que se pretende ser uma Roda de Samba.

Além de noticias, imagens e dicas; o blog faz referência aos principais acontecimentos pré caranvalescos da cidade do Rio de Janeiro. Além é claro de ter um menu com o endereço dos sítios das escolas de samba na Internet.

Vale a pena dar uma passadinha e verificar o que está acontecendo. Quais as dicas.

Destaque para a programação dos ensaios técnicos que estão acontecendo na Av. Marques de Sapucaí e o melhor é que é de graça:

8/12 — Império (21h).

10/12 — Mangueira (19h) e Tijuca (21h).

17/12 — Grande Rio (19h) e Beija-Flor (21h).

22/12 — Salgueiro (21h).

5/1 — Salgueiro (21h).

6/1 — Porto da Pedra (21h).

7/1 — Tijuca (19h) e Beija-Flor (21h).

12/1 — Império (21h).

13/1 — Estácio (19h) e Portela (21h).

14/1 — Mangueira (19h) e Viradouro (21h).

19/1 — Mocidade (21h).

21/1 — Grande Rio (19h) e Vila Isabel (21h).

26/1 — Imperatriz (21h).

27/1 — Estácio (19h) e Porto da Pedra (21h).

28/1 — Mangueira (19h) e Beija-Flor (21h).

2/2 — Tijuca (21h).

3/2 — Salgueiro (19h).

4/2 — Grande Rio (19h) e Viradouro (21h).

9/2 — Império (21h).

10/2 — Imperatriz (19h) e Portela (21h).

11/2 — Vila Isabel(19h).

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Do Trem do Samba ao Trem do Forró


Enfim será amanhã, sábado, dia 2 de dezembro, dia de ir pra Central do Brasil comemorar o Dia Nacional do Samba. Mas será que vou mesmo? A dúvida me corroí!

No ano passado estive lá e vi como o trem está ficando hard, o sucesso correu o Rio, os terreiros, as quadras, as periferias e hoje o trem do samba está aglutinando uma concentração absurda de pessoas.

Por apenas 1,80, pagando uma passagem comum, dá pra participar desta festa cada vez mais popular e confesso que lembro com saudades das primeiras edições, bem mais vazio, com todos os vagões cheios de musicos, velha guarda de diversas escolas; éramos uma minoria.

Naquele ano dei uma sorte tremenda pois entrei no vagão da Beth Carvalho. Neste ultimo trem do samba era somente empurrão, nenhum músico, um reflexo da popularização deste evento. Foi tanto empurra-empurra que acabei desistindo e saí da estação. Oswaldo Cruz suportou a massa de pessoas que foram? Não sei. Só sei que hoje tem o risco de entrar num vagão sem samba, mas como samba é samba como parar de acompanhar o trem, o samba que pede passagem e que surgiu na cadencia rimica do trem.

Alias, hoje os blocos são a tônica dos vagões; é Escravos da Mauá; o Suvaco de Cristo; etc... que ocuparam os vagões possiveis com samba.

Pra quem não fará nada, babilônia completa. E se o nobre bloggueiro desistir de encarar a viagem pra Oswaldo Cruz, Vale a pena degustar o aperitivo de shows na Central do Brasil antes do trem partir.

O resto é que quem não gosta de samba, bom sujeito não é.

E com licença porque hoje vou pra quadra do GRES Renascer de Jacarepaguá!