sexta-feira, fevereiro 10, 2017

O Bode Cheiroso

Fonte Portal Crônicas da Serra Por Ernani Serra

No final da década de 1950 na cidade de Jaboatão dos Guararapes em especial no distrito de Cavaleiro, surgiu pelas ruas dos bairros um bode que pelo forte odor foi apelidado de BODE CHEIROSO e com apoio da população foi eleito vereador do município.

Seu odor era sentido a alguns metros, seu tamanho não tinha igual gostava de andar de trem e ninguém fazia mal. Respeitado por todos e aclamado vereador foi eleito com mais de 500 votos um fato inovador.

Não assumiu e nem poderia assumir, um bode vereador, mais foi à vontade do povo que o elegeu e o aclamou.

Teve panfletos e pasmem música a seu favor, essa é uma história real e no Brasil não tem igual.

O Bode Cheiroso teve um fim trágico, foi atropelado o que se tornou vereador, foi no bairro do Barro que essa história terminou; a jornada do BODE CHEIROSO que foi eleito vereador.


MÚSICA:BODE CHEIROSO
Autores: Elias Soares e M. Fernandes
Intérprete: Luiz Wanderley - gravação de 1960
Gravação da Chantecler - 1960

Olhe como é que pode
Me diga doutor
O diabo do bode ser vereador

Foi na eleição de jabotão
Que o bode cheiroso se candidatou
Quando foi na hora da apuraçao
Maior votação o bode levou
Veio o promoto, falar com cheiroso
E o bode manhoso estendeu a mão
Chorou de emoçao olhou pras revistas
E deu entrevista na televisão

E deu entrevista na televisão
E deu entrevista na televisão

No dia da posse houve reboliço
Fogos de artificios e no céu estrondou
O bode chegou nos braços do povo
De sapato novo, vestido a rigor
alguém perguntou, mas como é que pode
o diabo do bode assim tão manhoso
tornar-se famoso cobrir-se de glória
É essa a história do bode cheiroso

É essa a história do bode cheiroso
É essa a história do bode cheiroso

quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Carnaval Recife 2017

A Prefeitura do Recife divulgou hoje (02/02) a programação completa do Carnaval 2017 de Recife.

Serão mais de 2 mil apresentações em 47 polos espalhados pela cidade entre 24 e 28 de fevereiro.

No Marco Zero, irão se apresentar Lenine, Vanessa da Mata e Gaby Amarantos no sábado (25), Jorge Aragão e Leci Brandão no domingo (26), Titãs e Jota Quest na segunda (27) e Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Elba Ramalho na noite de encerramento (28).

O Polo do Arsenal contará no palco de nomes como Fafá de Belém e Quinteto Violado no sábado de Carnaval (25), Tulipa Ruiz em parceria com Marcelo Jeneci no domingo (26) e Tereza Cristina, que apresenta show em homenagem a Cartola na terça-feira (28).

Confira Aqui a Programação Completa do Carnaval de Recife 2017

E aí?!!! O Nobre Babilônico vai encarar essa maratona???!!!!

quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Ainda Que...

Por Renato Motta Rodrigues da Silva

Ainda que se há pressa o motoqueiro
Mesmo que se tenha a motoca.

Ainda que se apressa o maloqueiro
Mesmo que inexista a maloca.

Mesmo que, se a pressa do farofeiro
Ainda que não se tenha a farofa.

E que se a pressa
Que se apresse
Se há Pressa
Ainda...
Impressa
Nesta pressa
Expressa

Há uma fração de segundos denominado:
Tempo Perdido.

terça-feira, janeiro 31, 2017

Baile de Rabeca

A dica é para o dia 02 de fevereiro de 2017 - com as bençãos de Iemanjá, assistir em Olinda o show de Maciel Salu no Xinxim da Baiana a partir das 22 horas no Carmo em Olinda:

Veja se a pisada da rabeca é pesada:

terça-feira, janeiro 24, 2017

Aqui Jaz Grafite - Pobre São Paulo


Antes


Depois

No sábado (14), o atual prefeito de São Paulo, João Dória, vestiu óculos de proteção, máscara e avental para apagar os desenhos de uma mureta da 23 de Maio usando um motocompressor.

A atitude do atual prefeito de São Paulo em mandar apagar a maioria dos grafites que coloriam a cidade de São Paulo é de uma violência sem igual.

De acordo com alguns periódicos, as grafitagens da 23 de maio representava um dos maiores murais abertos do mundo.

Afinal de contas, por que o PSDB fez isso? Qual o motivo desta destruição toda?

O projeto político vitorioso na prefeitura de São Paulo representa, no grosso modo, a volta de um projeto elitista, no qual as comunidades ficam efetivamente de fora.

Nada mais midiático e representativo para a classe trabalhadora paulista ao ver seu representante vestido de gari e ter varrido cinco minutos uma calçada, ou tê-lo visto iniciando a destruição das grafitagens.

É uma certa elite dizendo que a Cidade de São Paulo é dela, que agora a territorialidade da capital paulista não terá mais espaço para a grafitagem,

Vestido de gari, o prefeito diz didaticamente, de forma subliminar, a forma como ele varrerá da cidade este lixo (na sua concepção).

E dá um recado para os trabalhadores da prefeitura, esses pobres, pretos, pardos, garis, como é que ele deseja que as ruas, muros, calçadas seja limpos.

A maldita herança escravista em sua plenitude adaptada a nova ordem.

A leitura sobre essa atitude do prefeito é muito clara e em poesia

Aqui Jaz Grafite
Por Renato Motta
Apagaram os grafites daquela cidade grande...
Mas o que queriam mesmo era:
Apagar os sonhos,
Apagar a criatividade,
Apagar a liberdade,
Apagar a multiplicidade
Apagar uma manifestação cultural,
Apagar uma estética de rua,
Apagar as cores...
Apagar o que se via..
Apagar a resistência,
Apagar a utopia...

Só que tem uma coisa prefeito...
Sonhos não se apagam
Criatividade não se apaga
Cores não se apagam...
Manifestação Cultural não se apaga
Elas ficam latentes...
Mesmo reprimidas...
Mesmo repelidas
Elas transpiram
Escoam pelos poros da carne
Buscam sua válvula de escape
Panela de Pressão...
Eclodem em milhares de cores e sabores...
Explosão...
Eis que um dia a panela arrebenta
Revolução...

A luta... só está começando...

sábado, janeiro 21, 2017

O Mercado

Por Paulo Alexandre Filho

Dia desses tentando comprar refrigerante num mercado aqui perto:

- O senhor trouxe a garrafa? Essa aqui é retornável.

- Só tinha dessa à venda, mas não tem problema porque eu pago pela garrafa.

- Nós não vendemos dessa forma. Tem que trazer a garrafa.

- Tá, mas como eu poso ter uma garrafa retornável sem antes obter um refrigerante e a garrafa retornável?

- Comprando, senhor.

- Por isso eu quero comprar o refrigerante e essa garrafa retornável!

- Nós só podemos vender um refrigerante com garrafa retornável se o cliente trouxer uma garrafa retornável, que é retornável justamente por isso.

- Acontece, moça, que a senhora está me exigindo um retorno que não teve início.

- Como assim, senhor?

- Deixa para lá, não vou levar o refrigerante.

Moral da História:
Até comprar refrigerante pode ser um desafio à lógica e ao bom senso no Brasil.

quinta-feira, janeiro 12, 2017

O Papel e o Mar

Fevereiro é sinônimo de carnaval e vamos colocar uma luz literária sobre o samba enredo do GRES Renascer de Jacarepaguá, escola esta que tenho um carinho enorme por ter feito parte de sua bateria.

Com o enredo “o papel e o mar”, o carnavalesco Luiz Carlos Bruno deu asas a imaginação e vai promover um encontro imáginario entre dois personagens negros, não contemporâneos, da cultura e da história do país: a escritora Carolina Maria de Jesus e João Cândido, o “Almirante Negro”, líder da Revolta da Chibata.

Esse encontro se dá através de um bilhete lançado ao mar numa garrafa e cujo teor será a liberdade, a luta, a resistência deste povo sofrido. Os nós sendo desatados em versos e poesia cuja exaltação será as virtudes destes personagens da história brasileira sob a bandeira da luta por uma revolução contra a Lei da Chibata e das dificuldades impostas a quem tem essa tonalidade da pele. O ser negro!

Belo samba que merece ser escutado com carinho.

Enredo: "O Papel e o Mar"
COMPOSITORES: Claudio Russo, Moacyr Luz e Diego Nicolau

ALMIRANTE JOÃO
SOU CAROLINA DE JESUS
CARREGO PAPELÃO, VOCÊ NAVEGA SUA CRUZ
NA CORRENTEZA A SUA VOZ FOI MERGULHAR
EU FIZ DOS VERSOS A FORTALEZA PRA MORAR

SOU A FILHA DA MISÉRIA
VOCÊ NASCEU PRA GUERREAR
NÓS SOMOS A LIBERDADE
EU SOU PAPEL, VOCÊ É O MAR

SOBREVIVI NA ESCURIDÃO
SEM TER VOCÊ, INSPIRAÇÃO
ÔÔÔ DESATANDO OS NÓS
HOJE A RENASCER FALA POR NÓS

JOÃO
NEGRO FEITICEIRO
O TIMONEIRO CONQUISTADOR
CAROLINA É ALFORRIA
POESIA DA ALMA QUE SE LIBERTOU
NA LUTA CONTRA A TIRANIA
NA RESSACA DA AGONIA, RUBRO OCEANO
DRAGÃO DOS MARES
SEGUE A COSTEIRA GANHANDO LARES
NOSSA BANDEIRA, GUANABARA
O LEME DA REVOLUÇÃO
SALVE A NEGRURA, SALVE A BRAVURA
RESGATADA DO PORÃO

OH MESTRE SALA QUEM TE ENSINOU A BAILAR
UM MARINHEIRO SABE O BALANÇO DO MAR
A CHIBATA NÃO ESTALA MAIS
QUANTOS SONHOS GUARDA O VELHO CAIS