sábado, julho 24, 2004

Vote em mim!!!


Passo por um grande cartaz anunciando o nome e o número do candidato e aquele sorriso maroto ou provocador: Numero: 23123. Bom, já faz quase uma semana que a temporada de caça ao voto iniciou-se no Brasil, onde todos nós iremos votar em um vereador e um prefeito.

Me pergunto, que partido é esse, qual a coligação, qual as propostas? Mas olhando bem direto pra placa e pro semblante, só uma coisa me vem na cabeça:
- Vota em mim, palhaço!!!
E pra piorar me sinto como um palhaço mesmo, numa votação peculiar, meu titulo está alocado a quase 3.000 Km de distância daqui, exatamente no município de Olinda-PE.
Serei um observador deste processo, porque dificilmente irei viajar 3 dias para votar e logo em seguida voltar.

Lembro no fim da década de 80 quando a nossa esperança, nossos anseios passavam pelo ato de votar, que uma militância preparada iria fazer a campanha apaixonada, tentando convencer as pessoas a mudar de opinião, votar na esquerda.

Logo nas primeiras eleições, indo pra rua, paramentado com material, camisa bottom, panfleto, violão, tudo isso por princípio, por ideologia. E os partidos de direita? Estes sim precisam de militantes de aluguel para suas campanhas, e ainda tínhamos a audácia de convencer os militantes de aluguel a votarem em nossos candidatos.

Hoje, infelizmente, não há diferença. TODOS os partidos usam militantes de aluguel, assim como um emprego temporário para descolar um troco por final de semana. 50,00 ou 20,00 Reais? Depende da verba do candidato, e enquanto isso os salários, os “jetons” são aumentados pelos próprios deputados ou vereadores e quem paga somos nós todos. Em recessão, na deficiência das escolas, em precariedade dos hospitais públicos, fora as mamatas, os desvios, etc... É um ciclo assustador.

Tentar explicar, argumentar é quase impossível. Olho de novo pro cartaz que me observa:
- Vota em mim, palhaço!!!
A única coisa que me contento, é pensar ironicamente:
- Eu não voto aqui, palhaço!!!- E ir embora, pensando talvez numa poesia, ou num post pra Babilônia.
Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuui.


Em tempo: A bateria do Anil me mostrou duas coisas:
1) Tem uma galera fera tocando conosco!!!
2) Preciso melhorar muito – ou seja, vou acabar comprando uma "caixa" pra mim, mas aqui em casa vou perturbar muito meus vizinhos, pais e familiares.
Postar um comentário