quarta-feira, julho 21, 2004

"Dois Bicudos", CD de estréia da dupla Pedro Paulo Malta e Alfredo Del-Penho
(o blogger se recusa a publicar a imagem da capa, já tentei zilhões de vezes e desisti)


Sei que não sou ninguém para recomendar ou deixar de recomendar qualquer coisa. Mas ainda assim faço questão de dizer que este CD vale a nota. Uma bela dica de presente. Mas nada de presente de Dia dos Pais, este é um belíssimo mimo para si mesmo. Compre, escute e aproveite. Fui ao show da dupla Pedro Paulo Malta e Alfredo Del-Penho mais por dever de amiga do que como admiradora. Não poderia recusar um convite de PP. Já esperava que de lá viesse coisa boa, mas não conhecia o CD, motivo do show de lançamento, e portanto não poderia ter certeza.
Bastaram 15 minutos de show, três ou quatro músicas, para eu já estar totalmente entregue, cantando baixinho os poucos sambas que já conhecia e deixando o corpo balançar discretamente na cadeira nas músicas que eu ouvia pela primeira vez.

O repertório do disco "Dois Bicudos" tem uma qualidade que, para o meu deleite, foi determinante: as músicas são tão boas que, numa primeira audição, você tem certeza de já ter ouvido alguma outra vez. Não porque os sambas sejam óbvios, iguais aos outros, pelo contrário, cada um deles é único e a interpretação da dupla também. A certeza de já ter escutado antes é porque não me parecia possível uma música inédita aos meus ouvidos me agradar tanto. Sabe aquela sensação de estranhamento que a gente sempre tem quando é apresentado a algo novo? Mesmo quando este algo novo é excelente? Pois esta sensação não existe, ou pelo menos desaparece em segundos, quando se ouve as pérolas de "Dois Bicudos", começando pela faixa-título, tesouro de Cartola mantido inédito até hoje sabe-se lá Deus porquê. A nêga Judith do baile do Bola Preta, as irmãs Matilde e Jurema, o avião pilotado por um baixote, personagens de músicas que ouvi pela primeira vez e que já não me saem da cabeça.

No fim do show, é claro, comprei o CD. Mas aí a compra foi por pura admiração mesmo, o dever de amiga já estava cumprido há muito tempo. Experimentem! O disco vale muitíssimo a pena.





Postar um comentário