quinta-feira, março 02, 2006

A Vila Isabel é a Campeã em alguns atos


ATO 1 - Esse seria a gênese desta paixão pela Vila. Pela minha mãe, seria de berço um fervoroso mangueirense em verde e rosa quase roxo, mas a escola sempre foi algo distante e pasterizada na telinha dos desfiles de carnaval em minha casa. Faziamos dos colchonetes amontoados na sala a arquibancada perfeita, mas que não vingou quando iniciei voos solitários em carnavais de outras praças.

Já Pela minha madrinha seria um portelense fervoroso graças ao gracioso samba de 1984 quando os Contos de Areia de Dedé da Portela e Norival Reis ecoaram na Avenida do Samba com "Bahia é um encanto a mais/ Visão de aquarela/ E no ABC dos Orixás/ Oranian é Paulo da Portela/ Um mundo azul e branco/O deus negro fez nascer/ Paulo Benjamim de Oliveira/ Fez esse mundo crescer (okê, okê)". Mas não vingou

Foi num inesperado Encontro Regional dos Estudants de Historia na UERJ, em meados de 1995, que visitei junto com colegas de Historia, o GRES Unidos de Vila Isabel e a partir daquele momento, decidi tomar uma decisão. Serei Vila Isabel!! Aprendi o samba daquele ano que falava das riquezas o enredo Cara ou coroa, as duas faces da moeda de Evandro Bocão, André Diniz. Dizia assim em seu refrão "O cauri que eu vou jogar já foi dinheiro/O salário vem do sal que é tempero (bis)/ No azul desse mar eu faço o meu Carnaval/Com a Vila levantando o meu astral!!! E assim finda o primeiro ato com Motta acompanhando a trajetoria da Vila Isabel!

ATO 2 - Foi com muita apreensão que acompanhei o resultado de ontem. Vesti minha blusa da Vila de 2004 e fui assistir pela telinha a peleja da Vila. Final da apuração, por um critério técnico de desempate ecoou grito de CAMPEÃO!!! Mas devo confessar que não me aventurei a colocar os pes na quadra temendo a multidão que se espremia no charmoso bairro da Zona Norte. VALEU VILA ISABEL!!!!


ATO 3 - Dia seguinte de luta e labuta, fui ao CEACA-Vila ministrar minha capacitação na FUNLAR quando percebi o bairro de forma diferente, a alegria estampada nas avenidas e das melódicas calçadas do bairro, caminhar pela Boulevart 28 de Setembro era como estar caminhando por pequeninas bandeiras da Vila estampadas nas camisas, vi ritmistas, diretores, foliões ainda ostentando os louros dourados da vitória do Carnaval Carioca. Justa vitória Vila.

Epílogo - Cruzo a Rua Torres Homem e bem perto da praça vejo uma equipe da CEDAE triturando o asfalto para a manutenção da rede de agua ou esgoto, mas o que diferenciava era que as barreiras formada por cones foi adornada com chapeletes e esplendores de carnaval, e para quem vinha na direção principal, uma fantasia de sol alertava o perigo. Uma alegoria perfeita para o dia seguinte de um bairro campeão na Sapucaí. Alias, cena esta devidamente registrada por um casal de fotografos jornalistas. - Raios - pensei com meus botões - Porque não ando com minha maquina digital a tira colo????!!!!
Postar um comentário