sábado, março 25, 2006

No Busão


Entediado com tantas idas e vindas resolvi colocar o matemático que habita em mim e iniciei um complexo calculo de quanto tempo gasto dentro dos ônibus do Rio de Janeiro e me espantei com os números expressivos.

Meu trajeto cotidiano envolve minhas atividades diárias: casa-estagio-trabalho-universidade e casa. Para fazer tal percurso uso de 6 a 7 ônibus, dependendo de duas variáveis básicas: 1) Minha disposição e 2) Meus atrasos.

Para o nobre leitor compreender melhor, de minha casa até o estagio preciso de duas conduções (esse percurso é completo em 1 hora e 15 minutos quando não tem engarrafamento).

Do meu estágio no Corpo de Bombeiros até o CEACA-Vila uso mais uma condução (geralmente passo 50 minutos até chegar ao meu destino).

Do Ceaca pra Uni-Rio geralmente é 1 condução, mas sou obrigado, em certos momentos, a usar duas pra não me atrasar muito. (Nesse momento a cidade está um caos, gasto 1 hora e 10 minutos)

E por fim a volta pra casa me exige 2 ônibus, porque não existe condução direta da Zona Sul pra Jacarepaguá (já está tarde, então faço rápido, 1 hora e 15 miutos).

Temos a seguinte conta:
1:15+0:50+1:10+1:15= 4 horas e 30 minutos


Pois é, gasto 4 horas e 30 minutos por dia dentro destes veículos ora vazios, ora lotados, alternando entre as viações Redentor, Vila Isabel, Verdum e Estrela Azul. Sem incluir o tempo de espera, chego a conclusão de que por semana passo 22 horas e 30 minutos dentro do ônibus. Numa estimativa, em um mês perco 98 horas . São quase 4 dias. Se fizesse o mesmo percurso numa rodovia inter estadual, é o mesmo tempo que faria do Rio de Janeiro a Belém do Pará de ônibus.

Vejam como tanto tempo perdido afeta um ser humano pois foi possível escrever essas futilidades estatísticas com tanta veemência. A Babilônia, enfim, também é cultura inútil.
Postar um comentário