quarta-feira, maio 05, 2004

O Poema

Meu amigo Fernado Peixoto me perguntou qual poema enfim, eu havia declamado no lançamento do Livro. Foi este que está publicado na Antologia Ponte de Versos.

Ontem
Por Renato Motta

Ontem a chuva lavou minha alma
Lembrei de ti
Fragmentos de memória
Que de outrora, já se faz eternidade.

Ontem o sol queimou o meu espanto
Penso que sim
Estando tão perto do sonho
Mas completamente solitário em mim.

Ontem a tua lua me era constante
Agora tão distante
Astros que transmudam,
Que transportam esta tua ausência.

Ontem a brisa brincou em meu ouvido
Redondilha aérea do céu
Trouxeram tuas palavras, sons e cores
Aqueles doces momentos... Mel.

Postar um comentário