segunda-feira, março 08, 2004

Descompasso

Por Hilda Renauro

Me querem mãe
e me querem fêmea,
Me querem líder
e me fazem submissa
Me fazem omissa
e me cobram particpações,
Me impedem de ir
e me cobram a busca
Me enclasuram nas prendas do lar
e me cobram conscientização,
Me tolhem os movimentos
e me querem ágil,
Me castram os desejos
e me querem no cio,
me inibem o canto
e me querem música,
me apertam o cinto
e me cobram a liberdade.

Me impoem modelos
gestos
atitudes
e comportamentos.

E me querem única.

Me castram
podam
falam
e decidem
por mim

E me querem plena.


(Fonte: RENAURO, Helena - Descompassos - Ed. Tempo Brasilero - 1985)
Esse é um poema que cabe, dentro do Dia Internacional de Luta das Mulheres.
Homenagem as 129 tecelãs mortas numa greve em Nova York, devido a um incendio provocado pelo patrão em 1857.
A Babilônia é uma palavra feminina e por isso não poderia de deixar de prestar minha homenagem.
Postar um comentário