quinta-feira, fevereiro 13, 2003

Quarta na Capa


Depois de tanto tempo ausente do Movimento poético do Rio de janeiro em função de estar em Recife, ontem estive presente no evento POESIA NA QUARTA CAPA, coordenado pelo poeta, mímico, webfighter pela poesia, JIDDU SALDANHA.

A Quarta Capa é mágica, fantástica, por ser num espaço que outrora foi um sobrado de estilo colonial que nos envolve pelo romântico desejo de voltar no tempo, graças aos grandes painéis das principais avenidas do Rio O ESPAÇO CULTURAL CONSTITUIÇÃO.

Mas hoje foi remodelado e a poesia, a arte, a história, a cultura, a memória se fundem no espaço, em uma Contra Capa da cidade no monstro Rio de Janeiro.
A Quarta capa que nos cabe, instigar, e aprofundar.

Henrique Lima apresentou sua poesia viola, música e arte.
Luis Ferando Proa experimentando o vicejo da língua portuguesa em palavras poéticas e frenéticas.
Eliana Mora instigou pelo poema pós-modernista e a citação do POETRIX.
Ana Paula Pedro O Cata-vento de ilusões, imagens repletas de inquietude poética, de desejo e sexo, nexos e plexos. Arde a poesia completa de sons e significados, postulados no Espaço Cultural.
Rosa Born A militante desarmada, com a Poesia Simplesmente na alma e a baianidade, de ser simplesmente Poesia cada vez mais.

Quer saber mais? Deixo com vocês o próprio JIDDU que deixa seu recado na BABILÔNIA:
"Quem quiser já pode conferir no nosso Blogger o resultado do Quarta Capa de fevereiro, saber tudo o que rolou. Destaque para a I N V A S Ã O da ótima cantora Luciane Nardi e a presença dos poetas que fizeram a festa, mostrando um show de pura sensibilidade...
www.quartacapa.blogger.com.br
Tudo de bom
Jiddu Saldanha


Jiddu, que é o poeta momento, do clique movimento, fotografia, roda, e fomento da possibilidade intervir, interagir, em elevar a alma do poeta. A poesia internáutica, internética, intergalática
Neste espaço Constituição Real em Virtual
A Poesia É possível
Poesia sempre... Poesia cada vez mais
Postar um comentário