quinta-feira, fevereiro 20, 2003

Casa dos Sete Erros



Pois este título é bem vindo para a mini série: A Casa das Sete Mulheres. É impressionante como alguns fatos pra mim são sintomático.

Durante a partida de futebol Flamengo X Botafogo-PB pela Copa do Brasil, Galvão Bueno anunciava que logo após o futebol, nós os telespectadores -
não poderíamos perder o episódio inédito da Casa das Sete Mulheres. Após os elogios, Seu Nonô (Sérgio Noronha) solta a seguinte pérola:
- É uma verdadeira aula de história do Brasil.
Galvão concorda prontamente.

Que os dois desconhecem o episódio da Revolução Farropilha, vá lá, mas dizer que este romance televisivo ficcional é uma aula de história é preocupante.

Alguns equívocos históricos estão ocorrendo e estes comunicadores de massa incentivam que assistamos a aula de história da TV Globo.

O que acho ainda lamentável é que a Associação Nacional de Professores de História (ANPUH) não se posicione frente aos equívocos históricos. Se cale.

Talvez em debates dentro dos muros universitários, os professores estejam indignados, e que a mini serie sirva como o passatempo dos historiadores em descobrir a Casa dos Sete Erros.
Mas pra sociedade, essa passa a ser a história oficial do Brasil incluindo Manuela, Estevão e outros personagens agora reais.

Redenção
Tá bom, agora eu me rendo, a chinoca morena de cabelos compridos da estância dos Bento Gonçalves é maravilhosa, que inveja dos atores que contracenam com aquela beldade nua em pelo e de seios fartos.
Isso pra não falar de Giovana no papel de Anita Garibaldi.
Eu me rendo, EU ME RENDO... Sento meu rabicó em frente a TV e "vejo tudinnn"
Postar um comentário