quarta-feira, março 30, 2005

Ai de ti, oh Guanabara


O antropólogo Claude Levi-Strauss
conheceu a baía de Guanabara
Pareceu-lhe uma boca banguela


Depois dos diversos adjetivos que o Rio de Janeiro tem adquirido durante o tempo como: cidade metrópole, cidade maravilhosa, cidade partida agora é essa de ser cidade-estado, neste caso é a possibilidade de sermos, de novo, Estado da Guanabara.

Se a questão for a semântica sonora e poética do nome Guanabara, acho muito legal retomar esse nome indígena talvez dos Maracajá ou Tamoios, que significa: "baia que se assemelha a um rio".

Alias, existem projetos de outros estados pelo Brasil, lembro da vez que fui ao Congresso Nacional e vi um cartaz de um Deputado do Paraná defendendo a criação do Estado Iguaçu - com territórios do extremo oeste do Paraná e Santa Catarina e que teve uma vida efêmera. Creio que o projeto foi arquivado.

Assim como Iguaçu, acho que os nomes indígenas soam bem pros territórios - veja que nome lindo é Guararapes e que fica somente em Jaboatão e no aeroporto de Recife.

Mas Guanabara é peculiar, tem uma questão política que divide os governantes (nesse caso Deputados, Senadores e Vereadores do Rio). Alguns como a vereadora Aspásia Camargo (PV) é defensora veemente da criação da Cidade Estado. Já a Deputada Federal Jandira Feghali (PC do B) já se posicionou contra. Certo mesmo é que um Deputado do Amazonas indexou o projeto do plebiscito do Estado da Guanabara no projeto de desarmamento e o relator é o Deputado Federal Jéferson Camata (PMDB-ES).

Vejamos, quem irá votar no plebiscito marcado para outubro? Só os cariocas, todos os fluminenses ou o Brasil inteiro? Babilônicamente não tenho opinião formada, mas penso no custo que isso vai ter para os moradores do Rio de Janeiro?

Me parece que os defensores do estado Guanabara tem um saudosismo quase que provinciano de que temos que nos separar do Rio de Janeiro (estado) e sermos Guanabara por essência. Creio que o custo social do Estado do Rio de Janeiro com os pobres municípios de São Fidelis, Itaperuna, Três Rios justificariam a separação? O Rio é lindo e isso vai representar mais custos para os seus moradores ou isso responderia os problemas sociais que atingem o Rio de forma violenta?

Não sejamos ingênuos!!! Tem muito político do Rio que não se elegeu e sabe que o novo estado é a possibilidade de entrar nas gordas fatias em Brasília como o representante da Guanabara. Tenho a impressão de que isso é um reflexo do tal "texto" alarmante do cineasta Arnaldo Jabour que clamava pela criação do Partido do Rio de Janeiro e que teve ecos significativos.

Sei não, acho que se o plebiscito for para o povo escolher, não seremos Guanabara, mas carioca, do Rio de Janeiro. Porque o carioca não agüenta mais o alto custo de ser morador do Rio de Janeiro. É ver pra crer!!!
Postar um comentário