terça-feira, novembro 09, 2004

Olhar




Sabemos da complexidade que envolve a captação de imagens pela nossa retina, ela tem um caráter duplo que passa pela absorção da imagem (que neste caso tem como variante a intensidade da luminosidade) dando a clara noção do que podemos absorver e enxergar durante o dia e durante a noite. Ausência ou presença de luz e que tipo de luz.

O aspecto, talvez o mais abstrato, mas extremamente significativo: A forma como observar os acontecimentos, que no fundo fica impresso no olhar as nossas profundas conclusões sobre os fatos ocorridos. Nesse caso podemos incluir aí o desinteresse do olhar, até o medo profundo. Na verdade a gama de possibilidades de interpretação pode ser múltipla.

Na ultima sexta feira, estava no meu trabalho, dentro do Morro do Macaco observando as coisas acontecerem (um tiroteio intenso na operação da PM) E quando pude sair, os olhares representavam apenas um sentimento estampado nas retinas – o medo.
Postar um comentário