quarta-feira, novembro 24, 2004

O caso Cesár Maia

Pois não é que o prefeito re-eleito do Rio de Janeiro, César Maia (PFL), antes de assumir, já está se lançando a candidato de Presidente da Republica em 2006. Houve ecos de indignação por partes de alguns jornalistas e de alguns políticos, inclusive da esquerda que disputaram a prefeitura.

Ora bolas, quanto a elementos da sociedade, dou um desconto e faço coro contra esse tipo de atitude, mas “pêra lá!!!”

Vamos dar uma olhada no quadro de disputa a prefeitura do Rio:

  • O Senador “Pastor” Crivella (PL) – foi o segundo mais eleito se ausentou do Senado para disputar a prefeitura! Quem seria seu suplente? Os eleitores votaram em sua suplência?

  • O Deputado Federal Jorge Bittar (PT) – foi o mais votado, e será que seus eleitores estariam escolhendo o seu suplente também? Perdeu feio na eleição do Rio.

  • A Deputada Jandira Feghali (PC do B) – eleita com um numero significativo para exercer o mandato no Congresso, também se ausentou da Câmara dos Deputados Federais.
    Mas isso não se restringe somente ao Rio de Janeiro, a direita e a esquerda fazem isso como se fosse uma coisa normal desde 1989.

    Se houvesse uma legislação eleitoral séria (que nesse ano se preocupou em reprimir a boca de urna) deveria elaborar uma lei que impedisse aos eleitos (em qualquer nível eleitoral) de disputar qualquer outro cargo publico. Só ao fim de seu mandato.

    César Maia, nesse caso, no ato de antecipar sua disputa à presidência, acabou deixando em evidencia a brecha na lei, uma falha do Tribunal Superior Federal que dificilmente será corrigida, graças ao clientelismo político que existe neste sistema.

    Aguardem 2006, vai ter muito vereador disputando uma vaguinha de Deputado estadual, Federal ou Senador... Quem viver, verá!!!!
  • Postar um comentário