sexta-feira, setembro 03, 2004

Vai Flamengo...

Depois de 28 jogos, apenas 8 vitórias, muito desespero e vários copos de cerveja, dá pra fazer uma análise do Flamengo só de olhar os números. Malditos.

  • Defesa: O Flamengo levou 30 gols é a quinta melhor defesa do campeonato. Significa que podemos ficar tranqüilo? Nada disso. O Fabiano Eller, o melhor zagueiro do time, foi vendido. A zaga anda batendo cabeça. Quem viu o jogo de ontem (eu ouvi) contra o Vitória (Fla 2 X 0) sabe da dor de cabeça que ainda vamos ter. Isto posto, acho que o Da Silva deve continuar no meio campo, justamente para reforçar a defesa.

    Gols sofridos:
    1) Palmeiras e São Caetano: 25 gols
    3) Atlético: 28
    4) Coritiba: 29
    5) Flamengo e São Paulo: 30


  • Ataque: O Flamengo tem o segundo pior ataque da competição, com 26 gols. Pior que a gente só o Guarani, com 22. Significa que devemos nos desesperar? Acho que não. O Dimba estreou no dia 4 de agosto, na derrota de 1 x 0 para o Coritiba. Um mês depois, ele já é o artilheiro do time no Brasileiro com 5 gols. Com a seqüência de jogos, a tendência é que o aproveitamento melhore já que ganhará maior condicionamento físico e maior entrosamento com o time.

    Artilheiros do Flamengo no Brasileiro:
    Dimba: 5 gols
    Roger e Negreiros: 3
    Ibson, Whelliton e Júnior Baiano: 2
    André Bahia, Jean, Jônatas, Juliano, Marcelo, Rafael, Rafael Gaúcho, Reinaldo e Zinho: 1


  • Meio de campo: Na minha opinião, este é o setor mais delicado para acertar por causa do Felipe. O Ricardo Gomes deveria dar atenção especial ao jogador. Onde, afinal, rende mais o nosso camisa 10? No ataque, como um falso ponta? No meio, mais recuado? No meio, solto, mais avançado? Ibson, Júnior e Zinho jogando juntos deixam espaço para mais um jogador no meio: Da Silva ou Felipe?

  • Minha opinião: Eu colocaria o Felipe como um falso atacante, completamente solto. Para isso, o meio de campo teria que participar mais, dividir com o Dimba a responsabilidade de fazer gols. Os laterais também. O Roger é o segundo maior goleador do time. E o meio? O problema passa a ser o seguinte: com o Felipe no ataque, quem armará as jogadas? Ninguém. Além dele, não temos um quarto homem de meio campo de qualidade. De vez em quando o Felipe terá que recuar ms não pode ter essa obrigação. Ele deve flutuar sempre ou será anulado.

    Para armar e suprir a falta do quarto homem, é preciso ter a presença pelo menos de um e com freqüência de dois homens do meio no ataque (revezando-se Zinho, Ibson e Júnior. O Ricardo Gomes deveria fazer um teste com o Jean no meio. Ele marca, ataca, é veloz pra caramba, e faz boas jogadas pelo fundo). E ainda contar com as subidas dos laterais, sobretudo pela esquerda. Para isso, manteria o Da Silva para dar seus bicos na cabeça de área. Resumindo: primeiro tem que acertar a posição do Felipe. Depois, as posições dos outros homens do meio e do avanço dos laterais. Tudo isso sem deixar a defesa vulnerável.

    Fácil, né? Não é, eu sei. Mas contamos com o apoio de São Judas Tadeu, que continua com muito trabalho para ajudar o Flamengo. O pior é que os maiores problemas estão fora de campo. E não tem esquema tático que dê jeito.
  • Postar um comentário