domingo, setembro 12, 2004

Correndo Perigo


Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2004 - Neste dia passei bem perto do perigo, mas fique tranqüilo caríssimo bloggueiro, não foi um tiroteio no Complexo do Morro dos Macacos! Definitivamente não!

Ontem passei pela Praça Presidente Kenedy que fica bem em frente a embaixada dos EUA no Rio de Janeiro. De cara, vi dos desenhos no chão – como se tivesse morrido dois cadáveres ali e com o seguinte slogan: Bush, assassino!

Só pro caro leitor ter uma noção do perigo que passei, na sexta-feira foram detidos 2 tanzâninanos no Aeroporto Internacional Tom Jobim com fotografias do Citybank e do referido prédio diplomático, com anotações sobre segurança e sobre possíveis ângulos para um fulminante ataque bombástico - literalmente.

Mas constate o ridículo da situação. Pleno sábado ensolarado, com centro da cidade praticamente deserto, foram destacados dois carros patrulhas da Polícia Militar que ficaram de plantão na porta frontal e lateral do prédio. O objetivo era o de se evitar qualquer dano moral ou material ao território Ianque, aqui no nosso sub-desenvolvido país.

Não resisti e me dirigi aos homens da lei - protagonizando uma peculiar cena carioca bem aos moldes de Anselmo Góes em sua coluna diária no Jornal O Globo -
- Já passou algum Talibã por aqui?- Depois de alguns segundos de silêncio, um dos policiais me responde com uma risada, que resolveu retrucar no mesmo espírito cômico.
- Não, ainda não, mas fique tranqüilo que daqui a pouco eles vão passar!! O que me fez rir também.

Desse episódio tiro duas conclusões:
  • a primeira foi minha sorte de falar com um policial bem humorado
  • a segunda foi de constatar que a neurose do terrorismo, mesmo que meio tímida, chegou ao lado de baixo do Equador, aqui no Brasil.
  • Postar um comentário