terça-feira, novembro 18, 2003

O Maracatu no século XIX



Vejam o artigo preconceituoso do Jornal Diário de Pernambuco que noticiava com rancor a expressão cultural do maracatu:

MARACATU: O "ESTÚPIDO FOLGUEDO"
Recife, 18 de maio de 1880

"O estúpido folguedo africano que assim se denomina e de que cada vez se mostra mais ávida uma certa porção de nossa sociedade, não obstante achar-se no índex municipal e policial, vai se desenvolvendo cada vez mais nesta cidade e seus rabaldes e parece que, se não com a conivência, ao menos com a aquiescência das autoridades policiais. Entretanto, esses pretensos divertimentos em que se vêem cenas supinamente imorais, deponentes dos bons costumes, são outros tantos motivos de lutas, dos quais não raro saem os festeiros feridos por cacete ou faca.

Demais, como já temos dito e repetimos, são eles extremamente incomodativos para os vizinhos dos pontos em que se dão as reuniões, não só porque o batuque dos
barbarescos instrumentos e das desafinadas vozes dos cantores é de ensurdecer e dura longas horas, mas também porque, de quando em vez, do seio dos freqüentadores saem voz em grita palavras obscenas e ditos picantes pelo sal ático dos bordéis em que são apanhados para serem lançados a todos os ventos...".


Que bom que o Maracatu vive e é admirado por todas as classes sociais. Essa resistência é uma vitória de nossa cultura popular, e dos negros e escravos que deixaram sua marca na História.
Viva a cultura popular
Postar um comentário