sexta-feira, novembro 07, 2003

Filhote de Pombo

Esse é um poema muito interessante do meu grande e impoluto amigo, Érico Braga Barbosa Lima:

Filhote de Pombo
Por: Érico Braga Barbosa Lima

Nunca vi
Um político pobre
Ou um bruxo que descobre
Uma vacina para dor

Não conheci
Nenhum cínico fanático
Ou poeta performático
Que morresse de amor

Nunca acharam
O caroço da banana
Ou o azedo da cana
(overdose de bagana)
Mas você vai me mostrar

Eu nunca vi
Filhote de pombo
Mas o dia do assombro
Eu sei que um dia vai chegar

Nunca vi japonês boiola
Beetohoven na viola
Ou enterro de anão

Mas se vocês
Encontrarem esse segredo
Bem na ponta do meu dedo
Duvidar não vou mais não

Não me mostraram
O suspensório da minhoca
(o suvaco da cobra)
ou o dinheiro que sobre
bem lá no fim do mês

Se me descubram
O braço da maneta
E o instantâneo da mutreta
Me revelem lá vocês

Eu nunca vi
Mulher que perdesse o prumo
Pois no fim todas seu rumo
Sabem muito bem e de cor

Postar um comentário