segunda-feira, agosto 22, 2005

Penha

Domingo eu subi a Penha a pé. Andei pela escada de pedra, granito, amaciada pelos anos de romaria sol e chuvas. Vi o Rio de um ângulo pouco explorado. Além dos muitos prédios do Iapi e do campo do Olaria, foi difícil para mim localizar pontos da zona norte. Falta o mapa da cidade a partir daquele ângulo.

A igreja impressiona também pelo movimento e devoção dos católicos. Encontro de jovens, almoço, bingo, missas, procissão da imagem pela cidade. Tudo começou no início do século XVII. O Capitão Baltazar de Abreu Cardoso subia o Penhasco para ver sua fazenda quando uma serpente o acurralou. Inerte, ele pede: "Minha Nossa Senhora Valei-me". Surge um lagarto, inimigo das cobras, que começa a brigar com ela. Baltazar escapa e constrói uma capela com a imagem de Nossa Senhora, a quem chamou de Nossa Senhora da Penha.

A devoção cresce e em 1728 foi criada a Vem. Irmandade de Nossa Senhora da Penha, sendo também construído um campanário onde foram colocados dois pequenos sinos. A igreja foi demolida e reconstruída em 1870, com uma torre e novos sinos, e em 1900, com duas torres e mais sinos, como é hoje.

Outra promessa, de Maria Barbosa, que queria ter um filho em 1817, foi cumprida em 1819: ela mandou esculpir no granito do penhasco uma escadaria com 382 degraus para facilitar o acesso dos devotos de Nossa Senhora da Penha ao Santuário.

fonte: Santuário da Penha - http://www.santuariodapenhario.com.br/


Baião da Penha
David Nasser e Guio de Moraes

Demonstrando a minha fé
Vou subir a Penha a pé
Pra fazer uma oração

Vou pedir à padroeira
Numa prece verdadeira
Que proteja o meu baião

Nossa Senhora da Penha
Minha voz talvez não tenha
O poder de te exaltar

Mas dê benção, padroeira ,
Pra essa gente brasileira
Que quer paz pra trabalhar

Penha, Penha
Eu vim aqui me ajoelhar
Venha, venha
Trazer paz para o meu lar.
Postar um comentário