terça-feira, dezembro 23, 2003

O Natal do Menino de Rua


Pela poetisa Corina Maria Nassone

Para alguns hoje é uma noite muito especial
Mas para mim é mais uma igual a tantas outras
Amanhã sim! O dia será diferente
Porque no lixo vou encontrar migalhas gostosas
Que sobraram das mesas das crianças felizes.
Andando pela cidade, Papai Noel encontrei
Sentado ao pé de uma escada
Os seus olhos estavam tristes, a voz um pouco cansada
Eu logo imaginei! Estava me procurando
Saco nas costas não tinha
Já sei! Alguns dos meus amiguinhos
Querendo ganhar um brinquedo
Assaltaram o bom velhinho
Fiquei sentado ao seu lado, e contei-lhe a minha história:
Eu sou um menino triste, vivo apanhando nas ruas
Descalço, sujo, rasgado
Comendo restos nos lixos para matar a minha fome
Ás vezes não sei para onde ir
Não tenho para onde voltar
Durmo pelas calçadas e me cubro com jornais
O meu nome? Já nem sei! Só me chamam trombadinha
Mas o que eles não sabem, a culpa não é só minha
Agora quem sabe sou eu, dai-me nessa noite santa
Um pouco do teu carinho, um pouco do teu amor
Segura a minha mão nas suas
Pois elas ainda estão vazias
Talvez assim eu esqueça
Que sou um menino de rua.

Corina nasceu em 27/06/1929 em Pernambuco, moradora do Morro do Macaco, em Vila Isabel no Rio de Janeiro, participa do projeto Melhor Idade do CEACA-Vila. Adora escrever, mesmo tendo apenas o curso primário. Com esse poema, Corina ganhou o Premio Talentos da Maturidade do Banco Real – Categoria: Literatura em novembro de 2003.
Seu pseudonimo reflete a sua personalidade. Flor do Ébano.
Postar um comentário