sexta-feira, julho 11, 2003

Saudades

Ontem senti saudades. Mas não era uma saudade comum.
Era uma grande, em letras maiúsculas.
Saudades esta de uma pessoa que não conheci ... assim, como se conhece uma pessoa, do tipo.... bem de perto, que agente olha nos olhos, fala e ouve.
Mas senti saudades.

Era uma Saudade daquelas agudas, que dói bem na alma, e que dá uma vontade de chorar. Era uma saudade intensa.
Saudade de quem esteve sempre falando da vida, de suas dificuldades.
Da simplicidade... falando de poesia.

Saudade deste poeta que também falou muito de tristeza, de exílio, de saudades. E logo você, que falava sempre muito bem deste sentimento, nos deixa com uma bem da sua medida.
Grande mesmo, enorme.

E de tanto falar em vida e de saudades, ele, nos deixou e com muitas.

Noventa anos bem vividos, completaria este poetinha, que traduziu um dos nossos lados de ser, o de ser Carioca.

Saudade deste viajante, que de cidade em cidade, morando lá, morando aqui no Rio, morando na bela tarde de Itapuã.

Morando, mora??? Diria com uma gíria da década de sessenta. E como!!!
Mora, mora em mim, em você mora Moraes...
Em nós Vinícius de Moraes!!!


Esta é minha homenagem, depois de ouvir uma hora de programa sobre o poetinha na Radio Nacional.
Postar um comentário