quarta-feira, junho 25, 2003

São João


Cosme Damião,
A sua casa cheira
Chaira cravo rosa
Cheira a flor de laranjeira

Cosme e Damião - Clima - CD Chá de Zabumba - Recife/PE

Há exatamente um ano, do dia 25 de junho, voltava de Arcoverde - Cidade do Agreste Pernambucano - onde passei a melhor festa São João de minha vida.

No dia 24 estava na festa da Lenha dentro da terra indígena do povo Xukuru de Ororubá. Foi lindo rever o cacique e grande meu amigo Marcos Xukuru, o sábio pajé Seu Zequinha Xukuru, com seus comentários e seus olhos danadinhos sempre atento a tudo, a visita do pajé Truká - Seu Chico Truká.
Dancei Toré, cantei, e vi, atento o ritual na igreja mariz. Com a presença de meu pai e mãe, que passaram o mês de junho interinho comigo.

Naquela mesma noite fomos pra Arcoverde e participei do São João encantado em homenagem ao grupo musical Cordel do Fogo Encantado. O melhor foi ter conhecido pessoalmente Lirinha e ter visto o show do Raízes do Côco de Arcoverde. Encontrei toda a equipe do Projeto Escola de Índios do Centro de Cultura Luiz Freire. Mas o melhor foi Dançar muuuuuito ao som o Côco.
Ao final da festa fui pra estação de trem (hoje abandonada) e dormi dentro do Armazem Estação da Arte (espaço ocupado por artistas da cidade) que lutam pra transformar num espaço cultural.

Saudades dos meus amigos indios.
Saudades da Estação das Artes
Saudades de Arcoverde.
Do Pernambuco
Postar um comentário