quarta-feira, janeiro 22, 2003

A Rosa



Bate outra vez...
A saudade em meu coração
Pois já vai terminando o verão
Enfim


Não tenho duvida que Cartola pensava nela como sua Rosa. Tive algumas oportunidades de vê-la durante o período que trabalhei na produção do RODA DE BAMBA - no MIS da Praça XV durante o ano de 2001.
Sua chegada era sempre triunfal e sua presença era certa, quando a velha guarda ou os amigos e músicos da Mangueira estavam confirmados. O cuidado nos era exigido, na sua condução até a área reservada. Era tratada como uma rosa única, especial.
As vezes com ares de antipática, mas era só chegar perto que recebia uns tapas nas costas e beijos, sendo tratado como um sobrinho longínquo, mas da família.
Durante seu enterro, as bandeiras do Estado do Rio de Janeiro, da Mangueira e do Clube de Regatas do Flamengo, saudavam esta entidade. Um exemplo de vida. Viva!
Adeus Dona Zica
Postar um comentário