quarta-feira, julho 22, 2009

BABILÔNIA DE LUTO - MORRE ESTUDANTE NO ENEH DE BELÉM


Caros Babilônicos. Hoje soube pela lista da Federação do Movimento Estudantil de História, sobre a morte de um estudante de Historia da Universidade Federal do Amapá que participava do ENEH.

Para quem não sabe, a ideia de criação deste blog surgiu com o evento cultural que fazíamos nos Encontros de História - A Babilônia, uma festa que até hoje tem o objetivo de integrar culturalmente os estudantes das diversas partes do Brasil.

Lamentavelmente, uma perda lastimável e uma fatalidade ocorrida em um evento que tem por objetivo, promover discussões academicas, políticas e uma integração cultural.

Nossos amigos - Madureira e Rogério Coroinha (BLOG TEMPO PERDIDO) estão lá.

Segue em anexo, a matéria copiada do Site do Diário do Pará com a fotografia da coletiva que ocorreu na UFPA.

FONTE DIÁRIO DO PARÁ
BELÉM - 20 de julho de 2009


Estudantes de diversos estados brasileiros reunidos em Belém para participar do 29º Nacional de Estudantes de Historia (ENEH) presenciaram uma tragédia na manhã desta segunda-feira (20). O amapaense Antônio Jefferson Cardoso Dias, de 23 anos, decidiu dar um mergulho no rio Guamá e acabou morrendo afogado.

O estudante chegou a Belém na noite de sábado para participar do encontro, sediado no Campus Guamá da Universidade Federal do Pará (UFPA). Segundo informações coletadas na Seccional do Guamá, Antonio foi visto pelo vigilante do campus por volta das 9h, quando já lutava contra a forte correnteza. Renato Correa de Paiva ouviu o chamado do rapaz, que se encontrava a cerca de 30 metros da margem, e foi buscar ajuda. Quando voltou, acompanhado por outro segurança, já não viu mais o garoto.

A equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao local por volta das 12h30 e o corpo foi rapidamente encontrado. "Antônio era um garoto calmo, tranquilo, que gostava de ficar sozinho. Ontem ele nem participou da festa aqui no Campus, preferiu ir dormir cedo", disse Alcimar da Costa, coordenador da delegação de alunos do Amapá. Ele disse que ainda encontrou o rapaz hoje, durante o café da manhã, e que ele não havia ingerido bebida alcoolica.



COLETIVA

Em entrevista coletiva realizada na tarde de hoje, por volta das 15h, o prefeito do campus do Guamá, Alemar Dias Rodrigues, lamentou o ocorrido e pediu um minuto de silêncio em homenagem ao estudante morto. Ele comentou que esse é um fato isolado, atípico, e que em eventos desse porte a universidade dispõe de um volume maior de vigilantes, que reforçam a ronda às margens do rio para garantir a segurança dos estudantes. Alemar disse que entrou em contato com a Reitoria da Universidade Federal do Amapá, onde Antônio estudava, e que todas as providências já estão sendo tomadas.

Também durante a reunião, a comissão organizadora do encontro disse que foram distribuídas cartilhas que alertavam os alunos para o perigo de mergulhar no rio, em função da correnteza. A organização também informou que a programação acadêmica será mantida, mas as atividades culturais previstas para o turno da noite serão canceladas. O encontro acontece até o dia 25 de julho, sob o tema 'Descobrindo nosso Norte' e reúne cerca de 700 alunos.


Infelizmente essa não é a primeira tragedia ocorrida envolvendo morte e encontros de História. Em 2003 um onibus da UERJ-FFP foi destruido na BR 101 quando levava estudantes para o Encontro Regional de História no Espirito Santo.
Postar um comentário