quarta-feira, abril 13, 2005

Quase Dois Irmãos



Periga passar desapercebido pelas telas dos cinemas, mas ontem fui assistir ao longa metragem brasileiro Quase Dois Irmãos.

Se nos quarenta graus do purgatório da beleza e do caos explode em manchetes televisivas dos comandos sub-uzis entre tiroteios e balas perdidas, o filme Quase Dois Irmãos aponta para uma das explicações sobre a atual situação do tráfico nos morros cariocas.

É uma obra ficcional que coloca em cena um dos principais centros de detenção e isolamento de presos do Brasil – a Ilha Grande e a convivência entre presos políticos e presos comuns e o reflexo de suas contradições na prisão e o seu fruto: seja no morro, seja no asfalto respectivamente e como os papeis vão invertendo durante o decorrer do filme.

Sem dúvida, uma obra forte, impactante, mas que daqui da Babilônia Virtual indico com cinco estrelas máximas pois se queres e desejas compreender a dinâmica do Rio de Janeiro esse filme é imperdível. Alais se fosse o caro bloggueiro, saia agora pro cinema mais próximo pra não perder essa obra. (alias, reitero de que só vale a pena se for visto na grande tela branca).

Me atrevo a dizer que não vai ter Guanabara que dê jeito ao equivoco histórico da ditadura militar e que hoje está fragmentado na sopas de letrinhas de comandos e comandados. E como uma frase repetida no filme: “As coisas simplesmente mudaram” de contexto.

Os destaques dos filme são as imagens dos pés, dos tempos históricos e suas similaridades e as contradições de sua época e pra atuação da galera Nós do Morro!!! Propriedade melhor não haveria!!!

PS: Hoje!!! Mais um outono em abril e o que gostaria mesmo, como presente de aniversário, era pegar o próximo vôo pra Recife e acompanhar o restinho do 9º Cine-PE na gigantesca tela do Teatro Guararapes. Claro que além disso, a praia, as ostras, os camarões, as cidades, etc...

Autorais: Imgem puxada do blog http://www.spoiler.blogger.com.br
Postar um comentário