segunda-feira, dezembro 13, 2004

Tramas do Tempo



Compreendo que a moda do Blog, anunciado em páginas impressas do Jornal O GLOBO, foi substituída por Multiply, Orkut e outras novidades intergaláticas da Internet.

Se tinha uma coisa que adorava observar era a coluna do Jornalista Luis Gravatá que percorria os milhares de blogues e publicava pequenos trechos interessantes que foram criados na Blogsfera pelos escritores.

Descobri endereços interessantes e fiz questão de linkar aqui na Babilônia, tudo em função da coluna Gravatá, que permitia uma visibilidade maior dos bloggueiros. Inclusive a Babilônia e o Baticum que foram citados 2 vezes.

Blogues orfãos de Luis Gravatá

Creio que o Conselho editorial do Info ETC decidiu que aquele tipo de coluna (colocar trechos de Blogues) deveria acabar. Não sei se foi por algum processo movido por algum blogueiro, que não queria ter seu blog impresso (esta é apenas uma teoria) mas devo confessar que adorava colecionar o caderno de Info Etc e separar os melhores blogues, em um tipo de clipping para um caderno de consultas. Recortava e colava tudo que achei interessante, desde o ano de 2001.

Gravatá abriu um espaço para que as editoras publicassem livros sobre Blogues (inclusive hoje tem uma matéria de Elis Monteiro, que indica alguns livros de blogues publicados), e em novas discussão de teses de comunicação.

Um grande dialogo foi travado nestes quase 4 anos de existência desta ferramenta: A relação do Blog X Livro. E na verdade o que se viu foi a possibilidade de uma renovação literária, e o desafio de replicar o sucesso dos blogues nas edições impressas.

Em contra partida, os blogueiros puderam sentir o gostinho de serem acompanhados, comentados como as antigas e famosas novelas que eram constantemente publicadas nos jornais da corte ou em periódicos das provincias durante o seculo XIX.

Aliás, penso que Machado de Assis foi um blogueiro de mão cheia, sem existir internet, computador ou blogues.

São as Tramas do Tempo... que segue e promete nos revelar maiores surpresas nesta Web infinita, alimentando possibilidades de inter-comunicações virtuais e reais.
Postar um comentário