domingo, janeiro 14, 2007

Chove Chuva


Chove chuva, chove sem parar
Hoje vou fazer uma prece
Para Deus nosso senhor
Pra essa chuva parar
de molhar o meu divino amor


Chuva, chuva, chuva... Neste verão São Pedro não tem dado trégua. Desde 28 de dezembro até neste domingo cinzento de 13 de janeiro de 2007 um tapete cinza cobre os céus do Rio de Janeiro.

Neste periodo consegui ir 2 vezes a praia, belo feito contra a tal Zona de Convergência do Atlântico.

O fenomeno é simples sengundo entendi: O El niño do oceano Pacífico eleva a temperatura do mar. Um sub ciclone ou a frente fria que vem da Argentina e não chega no Nordeste, fica estacionado no sudeste cria um corredor de chuva, da Amazonia, Rondonia, Mato Grosso, Goiás, até Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

Ou seja, um caos no sudeste de enchentes, inundações, desastres ecológicos, desastres urbanos.

E claro, um cara pálido cor de papel pardo. Quem? Esse escriba que vos escreve clamando por um dia de sol.

PS:
  • Não tiver como chegar ao ensaio do GRES Renascer de Jacarepaguá na sexta. Como chuveu quando resolvi sair.

  • Nenhum ânimo pra encarar o encontro de blocos na Lapa, mas pelo que soube foi show. Essa foi-se!

  • Após o reveilon de 2007, deixa o Rio de Janeiro, Rogério Alvarenga O Coroinha do Blog Tempo Perdido. Bom retorno à Ribeirão Preto-SP, meu velho!!!
  • Postar um comentário