segunda-feira, setembro 11, 2006

Cheguei: Floripa foi só a Babilônia


Eis que retorno, depois de passar praticamente uma semana na cidade de Floripa participando do XXVI Encontro de História.

Junto com meus amigos da Liga Extraordinariamente Pilantra, aproveitamos a cidade catarinense, indo a praia, conhecendo bares, e organizando o Batizado da Babilônia.

Os caros blogueiros podem conferir meu álbum de viagem, certo manino?!!!


Praia Mole em Florianópolis: Eu e o Rogério Coroinha


Tocando uma viola na Praia Mole, apesar do sol, um frio medonho!


As pedras da Praia Mole, dá até pra morar, se não fosse o frio


Na UFSC integração entre gaúchos, cariocas, mineiros, capixabas e uma norte-americana.


Soubemos de um bar que vendia cerveja a 1,50 – ficamos lá conferindo e acabando com o estoque.


Eis que para uma charrete, não resistimos e quase pilotamos o veículo “cavalo-motor”


A noite tivemos uma apresentação do Núcleo de Guerra Medieval da UFSC. Estes cavalheiros brigando com uma espada de cotonete. Foi hilário!


Alta cúpula de bandalheiros do Batizado da Babilônia reunidos na birosca no bairro do Pantanal.


Robinho, Helena, Gadernal, Madureira, Capi Belezinha, Renato Motta e Rogério.


Pra minha surpresa, apareceu a Juliana Paes – Integração entre a BOA e a SOCABA!
Veio nos informar que a Antártica estava somente a 2,00


Preparando o batizado da babilonia, igredientes da Tribuzana que foi servida aos estudantes de História no ENEH. Uma foto dos arquivos secretos da babilônia.


O fundamental apoio da Xiboquinha Philadelfia, um ingrediente a mais, no batizado da Babilônia.


Preparando o Batizado, toda a cúpula do batizado ajudando na confecção da Tribuzana Sagrada.


O pergaminho sagrado do Batizado da Babilônia. Babilônia Irmãos!!!!


A degustação de Xiboquinha, todos pediam mais e mais!!! Ernesto e Renato Motta.
Babilônia Irmãos


A quantidade de pessoas presentes no Batizado da Babilônia, o CFH da UFSC ficou lotado com cerca de 800 estudantes de história de todo o Brasil.


Nossa ultima noite no ENEH, pós batizado, na mesa do bar da praça. Com muita cerveja é claro.
Postar um comentário