segunda-feira, abril 24, 2006

A solidão e o seu corpo


Por José Mário Rodrigues

Toda solidão tem o seu corpo
Às vezes apenas desejado
Às vezes apenas na lembrança
De um tempo ido e que ficou marcado
Toda solidão tem seu descanso
Sem o desassossego de pensar
Não repousa o corpo noutro corpo
Mas tem o sono para flutuar
Toda solidão é pesada e fria
E fica leve e se consome
E deixa cicatriz quando quer posse
E beija um copo sem saber seu nome.

  • PS: Poeta e Jornalista Pernambucano. Otima reflexão para esta segunda-feira!
  • Postar um comentário