sábado, março 15, 2003

Caminho para o Caos


Quinta feira no jornal o GLOBO tinha uma matéria pega pela FETRASNPOR, onde percebi a defesa do transporte rodoviário de forma tendenciosa.
Como trabalhei no projeto de extensão da UFRJ com o projeto REPENSANDO A FERROVIA achei a matéria tenciosa e mandei um texto para seção de cartas do jornal.
faço questão de publicar na Babilônia a minha carta, por ser um meio de comunicação que posso divulgar meus pensamentos:
"O caminho para o caos dos transportes coletivos no Brasil, não é a destruição recente dos onibus, mas sim a priorização do modal rodoviario na década de 50.

Segundo Nazareno Stanislaw, vice presidente da Associação Nacional de Transortes Públicos (ANTP) coloca que: "A experiência brasileira no transporte rodoviário é de 70%, enquanto que na Europa é 20% e nos EUA somente 3%"

A impressão desta analise de Stanislaw, publicado no Jornal O Globo (13/03), é que estamos mais avançados do que eles.
Mas vejamos.
Não é o Brasil um pais sub-desenvolvido e a Europa e os EUA que fazem parte do mundo desenvolvido?

O nosso transoporte coletivo é atrasado, poluente e custa muito a nossa economia - Não é a toa que ficou constatado isso, na fila de caminhões nas estradas que esperavam descarregar a produção de soja. Diferente se tivessemos uma malha eficiente de ferrovia que realmente interligasse o Brasil de leste-oeste-norte-sul.
Os produtores chamam isso de taxa-brasil

Nós pagamos mais pela:
1) Manutenção das estradas e ruas
2) Por ser um transporte que polui muito o meio ambiente
3) Que congestiona cada vez mais os centros urbanos
4) Pelo cartel monopoista que se formou das empresas de ônibus
5) Por não haver outra opção de transoporte coletivo.
6) Em pedágios absurdos


O carioca, assim como o povo brasielro, não aguenta mais.
Na maioria das cartas os leitores exigem o investimento no modal ferroviario.
Em um trem adequado, na expansão do metrô e no Veículo Leve sobre Trilhos.

Não é por menos que os onibus são depredados.
Porque segundo a música - "caminhos de ferro mandaram arrancar".
Nós, os brasileiros, perdemos o bonde da história, em desenvolvimento.
Postar um comentário