segunda-feira, setembro 27, 2010

Tempos idos


Era assim, como que um ritual. Depois da escola me preparar para ir a Vila na casa do Alexandre para saber quais os locais onde poderíamos ainda pegar doce.

A diferença entre a quantidade de doces que eu pegava com a do Alexandre era desigual. Geralmente ele conseguia encher uma bacia que ficava na mesa cozinha.

Eu saía com pelo menos uns 5 saquinhos de Cosme e Damião feliz. Depois é claro de percorrer a Vila inteira e seguir a correria da criançada ou tentar entrar na aglomeração em frente a algum portão. Era indicio de doces sendo distribuídos.

Hoje parece que essa tradição diminuiu muito. Os fatores englobam o medo dos pais ante a violência nas ruas, a diminuição da tradição e principalmente a proliferação de igrejas protestantes que condenam essa festa que teve influencia afro-brasileira/católica.

Mesmo assim não podemos esquecer:
VIVA SÃO COSME E SÃO DAMIÃO! VIVA E IBEJADA!!!
Postar um comentário