segunda-feira, maio 31, 2010

A 24ª Festa da Lavadeira


Não dá para descrever o significado da Festa da Lavadeira. É um momento mágico onde a manifestação popular ocupa literalmente o litoral sul exatamente na praia do Paiva a cerca de uns 20 kilometros do centro de Recife.

As manifestações da Festa da Lavadeira estão sendo acompanhadas pelo lado Babilônia neste minifundio virtual. As imagens captadas por Glaucia Dornellas conseguem traduzir as nuances coloridas desta festa.

Festa esta que pode ter sido a última, em função da especulação imobiliária e a construção da estrada e que habitam os romances de Jorge Amado ou de outros em que a velha dinamica do desenvolvimento desconfigura e joga no esquecimento as manifestações artísticas de um povo, de sua cultura, de seu tesouro.

Estive no Paiva ontem e de certo que o local já está bem modificado, cercado de arame. Mostram que a terra, o mar a natureza estão sendo apropriados.

Portanto estas imagens não somente um registro de uma festa, mas marca a resistência e a memória de um povo que querem apagar com as cercas.

O Céu e Palmeiras - Esse é o Paiva.



A 24ª Festa da Lavadeira.


Bonecos Gigantes


Renato Motta e Halisson


As tendas - frevo, suor e cerveja


O Maracatu


O Rei e a Rainha do Maracatu


O som frenético do Maracatu


A corte do Maracatu


A preparação para entrar no palco e os vestidos trabalhados


Entre o buscar aliviar o calor


E a pose para fotos


Apesar do calor, a alegria e a consagração



O Bloco passa e o povo vai atrás.



Detalhe da roupa do grupo de Maracatu Batuque de Mulheres


O todo do conjunto de Maracatu Batuque de Mulheres - a questão do gênero quebrando os tabus.



Calor


Depois da Nação Porto Rico, Alafim Oyó, Lia de Itamaracá, a noite fechou com o Show de Izaar.


More e Halisson no detalhe - acabou a 24ª Festa da Lavadeira.
Postar um comentário