segunda-feira, dezembro 03, 2007

Dia Nacional do Samba


Dói na alma saber que não vi. Estive ausente da festa, que a batida forte do tambor, no Baticum e no zirigudum do samba ecoando por toda a cidade. Na cidade do samba, no centro, na Lapa, na Marques de Sapucaí, nas quadras das escolas, no domingo da Central do Brasil tudo era samba.

O trem levou milhares de passageiros-foliões para a estação final, e lavou a alma centenária dos negros fugidos da repressão de um ritmo adjetivo super lativo de vagabundagem no inicio do século XX.

Fazer o que? O domingo cinzento, abrilhantado pelo samba que parou e desceu em Oswaldo Cruz, esteve distante.

Fiquei apenas olhando essa tela de computador e me esforçando a terminar meus trabalhos e obrigações da UNIRIO. Arquivos especiais, MTPA e Gestão. Siglas, nomes e trabalhos. Fica a promessa: Ano que vem estarei no trem do samba. Oxalá se quiserem os deuses.

Afinal de samba... digo... de contas...
Quem não gosta de samba...
Bom sujeito não é
É ruim da cabeça...
Ou doente do pé...
Postar um comentário