terça-feira, junho 26, 2007

A Justiça - A Violência - suas contradições


Pensem no Haiti, rezem pelo Haiti
O Haiti é aqui


Causa indigação o episódio de anteontem. Os jovens moradores da Barra da Tijuca que resolveram assaltar e espancar uma mulher trabalhadora, empregada doméstica que estava às 5 da manhã no ponto de onibus se dirigindo para um hospital em Duque de Caxias.

Essa violência gratuita; a barbarie destes estudantes universitários que revestidos de um ar arrogante dentro de seu carro, voltavam da Night viram uma mulher sozinha no ponto. Pararam o carro resolvendo arrancar sua bolsa e agredi-la.

Quando ela caiu, chutaram mirando a cabeça da empregada até ficar desacordada, puderam fugir covardemente achando que nada ia acontecer. Que tava limpo!!!

Estes jovens voltariam aos seus palacetes, condomínios protegidos e gradeados, eletrificados contra a barbárie do mundo de fora. Protegidos conta a violência social desse mundo dos descalços e descamisados, esfomeados, pretos, pardos e pobres.

Para eles - os pobres - que cometem crimes barbaros, uma mobilização com site e assinaturas, para que a idade penal seja menor, estes pobres devem ser julgados e encarcerados nas neo-senzalas da moderninade - a cadeia, a prisão, reforçado pelo apresentador sensacionalista que grita: ESCRAAAAAACHHHHAAAAAAAA COM ESTES MARGINAAAIS POOOOBRESSS.

Mas ontem, o pai empresário que foi na cadeia, em entrevista pede clemência: "como colocar crianças, que têm família e que estudam ao lado destes monstros da cadeia que praticam a violência? É exagero! Defende um pai.

O apresentador quando aborda o tema, não ESCRAAAAAAACHHAAAA os jovens brancos. Pede rigor da lei somente. A TV chama psicologos que falam do dialogo entre os filhos e pais.

Não, contra esses jovens do Rio ou os de Brasilia que queimaram o indio Pataxó Galdino vivo não merecem a cadeia. Eles só estavam de brincadeira ou confundiram com uma prostituta.

Contra eles não vai ter abraço da Lagoa Rodrigo de Freitas, ou passeata na Av Rio Branco. Não vai ter julgamento rapido. Será em instancias e instancias e instancias, superiores.

O resto sim, as prisões, os presidios, os carceres foram feitos para pretos, pobres, pardos, indios, excluidos.

A Justiça no Brasil, definitivamente... é cega!!!!!!
Postar um comentário