sexta-feira, agosto 12, 2011

O Achado Arqueologico Contemporâneo Brasileiro



Ontem, um funcionário que buscava fazer um reparo de infiltração no Congresso Nacional acabou encontrando, na parede interna, o legado a lápis dos operários que trabalharam na construção da cidade de Brasília em 1959.
O achado, noticiado pela imprensa brasileira, carrega simbolismos de um tempo e de um espaço que outrora refletia os sonhos, amores e esperança por aquele novo espaço político.

Mas se formos analisar, todas as construções são feitas por pessoas, que estão carregadas de sentimento.

Durante o seu processo de colocar tijolo por tijolo, pedras sobre pedras e cimento, sobre cimento. Mensagens diversas foram colocadas e apagadas em função da obra.
Mas o que difere, no muro interno do Congresso Nacional foram as mensagens, a forma de escrita e o local aonde estes escritos foram preservados.

Paralelamente, o processo de construção do Porto Maravilha desvendou e trouxe a tona o antigo Porto do Valongo aonde vestígios dos escravos foram encontrados.

Estes fragmentos, tanto em Brasília quanto no Rio de Janeiro, são os portais para a nossas Cidades Invisíveis que Italo Calvino escreveu e que existem em cada grande centro urbano do mundo..

São nossas figuras rupestres contemporâneas. É a nossa identidade, autêntica do povo brasileiro, que deixa seu registro, mesmo que sejam vestígios de uma realidade longínqua. Nossa história re encontrada, re achada.
Postar um comentário