segunda-feira, fevereiro 04, 2002

Estação Arcoverde

"Maria Fumaça não canta mais
Casas esquecidas, violas nos portais"


Há cerca de 3 meses, um grupo de artistas de Arcoverde ocupou
2 predios do Armazém da antiga e abandonada Estação de
Trem de Arcoverde.
Cidade essa da Zona do Sertão Pernambucano. Quando o grupo se preparava
para ocupar o terceiro prédio, que fica anexo,
A prefeita da cidade Rosa Barros (PFL) acionou a polícia.
Desde então ela tem feito de tudo para despejar e enfraquecer o Movimento Organizado dos artistas.
Mas a população demonstrou apoio ao ato.

Passei uma noite na estação, me inspirando em um poema.

Estação Arcoverde, Estação Arcoversos

Estação Arcoverde, como muitas outras
Legado de histórias esquecidas
No apito agudo da maria-fumaça que não passa mais
Da moça com vestido novo e perfume no ar
Só pra ver o trem chegar
Dos rapazes afoitos e preocupados, prontos para embarcar
E hoje, o olhar triste e cansado do velho rapaz
Não vê mais o trem passar
Ruinas....

Estação das Artes
A estação que outrora abandonada, hoje
Re-ocupada,reconstruída
Re-adaptada, re-agrupada em estação das Artes
Músicos, artistas e poetas
Palhaços, dançarinos e tocadores...
Em movimento
Esta ação da estação dos sonhos
De um trem imaginário
Que segue para todo lugar
Por Pernambuco
Levando a arte
A onde quer que ela queira estar
Renato Motta
Postar um comentário